terça-feira, 18 de janeiro de 2011

 

LER

Tenho sorte porque gosto de estar sozinho. Em silêncio. Pensando, escrevendo, preparando o almoço, fazendo uma soneca... E lendo.
Mas quando tenho um livro nas mãos, não estou verdadeiramente sozinho: fazem-me companhia as palavras do escritor. Falam dentro da minha cabeça. E quando estou a ler palavras que me tocam – que descrevem um sentimento meu, que pensava que nenhuma outra pessoa partilhava – a distância entre mim e o autor parece desaparecer, mesmo se viveu no século XVII ou se é de um pais longínquo.
Estes momentos íntimos de compreensão entre pessoas que nunca se encontraram são uma forma de magia à qual todos nós temos acesso. E enquanto duram todos somos mágicos!


Richard Zimler nasceu em 1956 em Nova Iorque. É licenciado em Religião Comparada pela Duke University e mestre em jornalismo pela Stanford University. Em 2002 naturalizou-se português. Escreveu cinco romances desde 1996, quatro dos quais foram publicados em Portugal: O Último Cabalista de Lisboa – best-seller em onze países, Trevas de Luz, Meia-Noite ou O Princípio do Mundo (Gótica, 2003) e Goa ou o Guardião da Aurora (Gótica 2005). É professor de jornalismo no Porto.

Sem comentários:

Enviar um comentário