quarta-feira, 4 de janeiro de 2012


Marcelo   vivia   fazendo  perguntas   a todo mundo:
- Papai, por que é que a chuva cai?
- Mamãe, por que é que  o mar  não derrama?
- Vovó, por que é que o cachorro tem quatro pernas?
As  pessoas  grandes  às  vezes respondiam.
Às vezes, não sabiam como responder.
- Ah, Marcelo, sei lá...


Título: Marcelo, marmelo, martelo e outras histórias
Autora: Ruth Rocha
Ano de lançamento: 1976
Número de páginas: 60
Editora: Salamandra

Este é na verdade um dos livros que remete para a minha infância e permanece na minha estante de casa e no baú das boas recordações.

Ele reúne três histórias: a primeira é sobre Marcelo, um rapazinho que começa a questionar o porquê das coisas terem os nomes que têm - e passa a chamá-las como acha mais lógico. Penso que a "moral da história" é sobre a importância de questionar as coisas e ser compreendido.

A segunda história é sobre Terezinha e Gabriela, duas meninas bem diferentes e como elas se tornam amigas (agora que sou mais velha, reparei também que essa historinha tem um pouco dos padrões que a sociedade espera que as raparigas sigam - sempre arrumadinhas, quietinhas - representada na figura de Terezinha). Nesse caso, a "lição" passada para as crianças é a de que pessoas diferentes também podem ser amigas.

Na terceira e última história, somos apresentados a Carlos Alberto, o Caloca, que é o único menino da rua que tem uma bola de futebol de verdade, mas que não gosta de dividi-la com os outros. Subtilmente temos aí uma parábola sobre o poder, e no final, os pequenos leitores aprendem que saber doar e dividir é importante.

É uma leitura muito leve e rápida, com um clima de nostalgia.

Sem comentários:

Enviar um comentário